Esse forte laço chamado "Bonding"

A ligação é esse laço especial feito de olhares, contato e carinho que une pais e bebês logo nos primeiros momentos após o nascimento.

file

Hoje em dia, escutamos muito falar sobre o termo "Bonding". Esta palavra foi criada cerca de trinta anos atrás para definir o laço especial e inquebrável que une pais e filhos para sempre.

Trata-se de um laço especial que une o bebê aos pais e vice-versa logo nos primeiros momentos de vida e representa uma base afetiva indispensável para lidar de forma relaxada com uma separação posterior.

Por este motivo, é importante que, na altura do nascimento e nas primeiras horas seguintes, o par mãe-filho, mas também pai-filho, possa encontrar um espaço íntimo e alguns momentos só para si, lhe permitindo estabelecer este laço que é tão importante.

A ligação desenvolve-se nos bebês através dos principais sentidos: tato, visão, audição, paladar e olfato. Existem até teorias de acordo com as quais, nos primeiros dias de vida, o bebê vive em simbiose com a mãe, sem distinguir o seu corpo do dela. Deste modo, a mãe é a satisfação de todas as suas necessidades porque ele e ela são apenas um.

Reciprocamente, o afeto maternal ou paternal se exprime através dos carinhos, dos beijos, dos olhares, da alimentação e da comunicação de formas diferentes com a criança. De facto, os momentos mais íntimos entre pais e bebês são aqueles que envolvem o contato pele contra pele: amamentação, banho, massagem, hora de dormir, etc., quando um abraço e o contato físico ocorrem espontaneamente, ditados pelo instinto natural de proteção e carinho parental.

Trata-se de uma verdadeira relação recíproca: tal como o bebê provoca respostas de carinho e afeto nos pais, o carinho dos pais provoca respostas de afeto por parte do bebê. 

Além disso, de um ponto de vista fisiológico, ficou provado que os bebês nascidos no fim do tempo de gravidez, que tenham contato pele contra pele com a mãe nos primeiros noventa minutos após o nascimento, se adaptam melhor às temperaturas exteriores, têm um nível de açúcar no sangue mais elevado e choram menos do que os que são separados ou colocados num berço.

Deste modo, para a mãe, os primeiros momentos após o nascimento são essenciais porque ao ver o bebê e segurá-lo nos braços irá desenvolver esse instinto de carinho e proteção que irá uni-la ao bebê de forma inquebrável para o resto da vida.